Petro de Luanda defende frente ao Maquis

O Petro de Luanda procura, hoje, conservar a liderança isolada do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, quando defrontar, às 17h00, no Estádio do Mundunduleno, no Luena, o FC Bravos do Maquis, em jogo de acerto à sétima jornada.

Apesar de os teóricos do futebol atribuírem favoritismo aos tricolores, dado os últimos resultados pouco animadores dos maquisardes, espera-se por um jogo com níveis de dificuldade para ambos os conjuntos, sobretudo a julgar pela imagem de futebol combativo e promissor espelhado pela agremiação do Moxico.

Pressionado a manter a invencibilidade no Campeonato, de formas a não perder a liderança para os “crónicos” perseguidores, ao Petro exige-se força colectiva e qualidade competitiva para repetir a exibição e resultados rubricados nas jornadas anteriores, cuja mais expressiva aconteceu diante do Progresso, no último fim-de-semana.

Contribui para elevar a confiança e aguçar a motivação do conjunto às ordens do técnico Alexandre Santos, o excelente ambiente que se vive no balneário. A equipa do Rio Seco cumpre uma série de oito jogos ininterruptos sem derrotas.

 O grande desafio do Bravos do Maquis orientado pelo experiente treinador Zeca Amaral passa, necessariamente, pela quebra da invencibilidade dos tricolores. Apesar da desvantagem no histórico de confrontos directos com o Petro, os maquisardes dispõem neste jogo de nova oportunidade para contrariar os prognósticos.

Em 40 jogos já disputados entre ambos, o Petro venceu em 22 ocasiões, empatou onze e perdeu apenas sete, facto que ajuda a espelhar, claramente, o domínio da formação de Luanda sobre o adversário do Moxico. 

Adivinha-se, por isso, um desafio em que os tricolores venham a entrar com tudo, apoiados por um ataque mortífero e assente no tridente formado por Yano, Érico e Tiago Azulão. Porém, precavidos da bravura dos maquisardes, um conjunto sedento de pontos e que encara o jogo com objectivo de dar um safanão à crise de resultados.


Sagrada à espera de deslize

Irredutível na perseguição ao líder, o Sagrada Esperança (2º/20 pontos) desloca-se a Cabinda desejoso em sair vitorioso do confronto com o Sporting (10º/9). O desafio é um dos testes mais exigentes à força colectiva do conjunto às ordens de Roque Sapiri, desde que tomou de assalto o segundo lugar do Campeonato.

Os campeões nacionais em título ainda não averbaram derrotas e esperam confirmar a boa fase que atravessam com a conquista dos três pontos, de formas a continuarem a “roer os calcanhares” ao Petro de Luanda e manter  “vivo” o sonho da liderança.

 Em Calulo, o 1º de Agosto tem obrigação de procurar limpar a imagem trémula e o percurso titubeante que espelha desde o começo do Campeonato. O empate amargo consentido frente ao Kabuscorp, na jornada do fim-de-semana, ainda está entalado na “garganta” dos adeptos do conjunto militar, que exigem uma reacção à dimensão do clube. Um grande jogo, por isso, em perspectiva.

Os desafios Wiliete de Benguela – Interclube, e Sporting de Cabinda – Sporting de Benguela, referentes à nona jornada, recorde-se, serão remarcados em breve, de acordo com uma nota do Conselho Técnico Desportivo da FAF.

Jornal de Angola

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: