Zaire com 16 zonas suspeitas de minas

Dezasseis zonas suspeitas de minas e outros engenhos explosivos não detonados foram detectadas pela Agência Nacional da Acção contra Minas (ANAM) na província do Zaire.

A informação foi prestada, à ANGOP, por Lourenço Antunes, oficial de ligação da ANAM na região, tendo referido que as áreas suspeitas de minas foram identificadas nos municípios de Mbanza Kongo, Soyo e Nóqui.

Lourenço Antunes explicou que a instituição aguarda pelo relatório final de vistoria feita nessas zonas por uma organização não-governamental internacional para a validação da informação.

“Temos outros locais denunciados pela população e que esperam ser confirmados nos próximos dias. Este ano, descobrimos um paiol e um esconderijo com mais de 250 armas ligeiras obsoletas nos municípios de Mbanza Kongo e do Cuimba”, disse. Informou que vão ser feitas as acções de limpeza e desminagem sobre os espaços onde serão edificadas as plataformas logísticas do Soyo e Luvo (Mbanza Kongo), infra-estruturas a cargo do Ministério dos Transportes. Referiu ainda que a limpeza estender-se-á ao local onde será implantada a fábrica de fertilizantes no município do Soyo.

Em 2021, disse, as operadoras de desminagem na região procederam à limpeza de 46 mil e 438 metros quadrados, no município de Mbanza Kongo, onde foram removidos mil e 124 engenhos explosivos não detonados, com destaque para granadas, morteiros e projécteis de diversos calibres, bem como nove minas antipessoal, duas minas anti-tanque e três mil e 42 munições diversas.

Sobre as campanhas de educação de risco de minas, Lourenço Antunes realçou que abrangeram cerca de cinco mil cidadãos na região que foram informados sobre o cuidado a observar com objectos estranhos e a necessidade de denúncia às autoridades. A Agência Nacional da Acção contra Minas no Zaire controla 16 operadoras de desminagem.

Por: JA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: