Programa “Kwenda” será prolongado por mais dois anos

O Programa de Fortalecimento do Sistema de Protecção Social “Kwenda”, com fim inicialmente previsto para Outubro de 2023, será prolongado por mais dois anos e aumentar a sua abrangência.

Carolina Cerqueira indicou que o Banco Mundial (BM) e o Executivo já negoceiam a possibilidade de estender o programa, tendo salientado que estão, na mesa das negociações, questões ligadas ao aumento dos subsídios das transferências monetárias.

A informação foi avançada durante a quinta edição do CaféCIPRA, realizada esta terça-feira, 10 de Maio, no Centro de Imprensa da Presidência da República, em Luanda.

“O Banco Mundial, tendo em conta a boa execução do Programa, os resultados conseguidos e o impacto que tem junto das populações para mitigar a pobreza e a situação de vulnerabilidade nas famílias, está a negociar com o Governo angolano para que o Programa seja prolongado por mais dois anos. E também estamos a negociar, porque temos na nossa mesa uma série de questões ligadas ao aumento dos subsídios para as transferências sociais monetárias gratuitas”, informou.

Carolina Cerqueira explicou que o Programa está a ser desenvolvido a nível de todo o território nacional e poderá abranger cada vez mais localidades, conforme solicitação dos governadores e das populações.

“Então, isso é um voto de confiança dos beneficiários do Programa, para os quais nós estamos a desenvolver muitos esforços para que possam sair da pobreza em que vivem, que foi muito mais acentuada com a situação da COVID-19 que fragilizou o tecido social, o sistema económico do país e empobreceu as famílias”, disse.

O Kwenda é um programa público de investimento que vai permitir tirar da pobreza a médio e a curto prazos um grande número de pessoas. A sua execução rege-se por procedimentos rigorosos e com lisura na utilização dos recursos disponibilizadas pelo Banco Mundial, no valor de 320 milhões de dólares, e pelo governo angolano, no valor de 100 milhões, totalizando 420 milhões de dólares.

POR: Governo de Angola

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: