ONU apela para que partes em conflito na RDC desmobilizem

Tensões entre o Ruanda e a República Democrática do Congo, são antigas mas acentuaram-se nos últimos meses.

O secretário-geral da ONU exortou ontem domingo as partes em conflito no leste da República Democrática do Congo a participarem “incondicionalmente” no Programa de Desarmamento, Desmobilização, Recuperação e Estabilização Comunitária e a que os grupos armados estrangeiros se desarmem.

O apelo do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, surge um dia depois de os rebeldes do Movimento 23 de Março (M23) terem acusado o Exército da República Democrática do Congo (RDC), contra o qual retomaram a luta em março, de se aliar a uma milícia ruandesa refugiada naquele país e cujos membros participaram no genocídio de 1994.

As tensões entre o Ruanda, que tem uma das mais eficazes forças armadas de África, e a República Democrática do Congo, um dos maiores e mais problemáticos países do continente, são antigas, mas acentuaram-se nos últimos meses, com Kinshasa a acusar Kigali de apoiar os rebeldes do M23, desde novembro acusado de realizar ataques contra posições do Exército da RDC no Kivu do Norte.

Fonte: cmJornal.pt

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: