TAAG nega qualquer relação com aeronave retida na África do Sul

A aeronave do tipo Bombardier Das-8 Q400, D2-EUQ, operada pela Heli Malongo aterrou na passada sexta-feira 7 de Outubro, no Aeroporto Internacional de Cape Town sem autorização. O transporte aéreo  tinha a missão de recolher os 20 passageiros da empresa petrolífera Chevrom, que se encontravam retidos na África do Sul, devido ao cancelamento dos voos da TAAG.

Em nota de imprensa a TAAG, Linhas Aéreas de Angola nega qualquer relação com o avião, e informa que não pertence a frota da TAAG, não foi contratada pela TAAG para a realização de nenhum voo fretado, e nem tão pouco está registada no certificado de operador aéreo (Air Operator Certificate) da TAAG junto da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), o regulador do sector em Angola.

A aeronave do tipo Bombardier Das-8 Q400, D2-EUQ, operada pela Heli Malongo aterrou na passada sexta-feira 7 de Outubro, no Aeroporto Internacional de Cape Town sem autorização. O transporte aéreo tinha a missão de recolher os 20 passageiros da empresa petrolífera Chevrom, que se encontravam retidos na África do Sul, devido ao cancelamento dos voos da TAAG.

Em nota de imprensa a TAAG, Linhas Aéreas de Angola nega qualquer relação com o avião, e informa que não pertence a frota da TAAG, não foi contratada pela TAAG para a realização de nenhum voo fretado, e nem tão pouco está registada no certificado de operador aéreo (Air Operator Certificate) da TAAG junto da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), o regulador do sector em Angola.

A Embaixada de Angola esclarece, que o avião já regressou a Luanda e a situação está normalizada, tendo sido contactado o Departamento de Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul, a quem a missão diplomática agradece “a pronta colaboração” para ultrapassar a situação.

As notícias divulgadas inicialmente pelo jornal online Eyewitness indicavam que o avião teria sido fretado pela TAAG, mas a companhia aérea negou qualquer ligação ao incidente.

Importa referir que o ecossistema da aviação civil nacional e internacional possui procedimentos e regulamentos rigorosos cuja necessidade de conformidade operacional é do conhecimento de todas as partes interessadas.

Fonte: Correiokianda.info

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: